Alice através do espelho (e das músicas)

…I found myself in Wonderland…

Dia 26 de Maio de 2016 estreia no Brasil “Alice através do Espelho”, a continuação do longa “Alice no País das Maravilhas”, filme de 2010 dirigido pelo incrível Tim Burton.

“Alice no País das Maravilhas” e “Alice através do Espelho” são obras audiovisuais baseadas nos livros de 1865 e 1871, respectivamente, do autor Charles Lutwidge Dogson, conhecido sob o pseudônimo de Lewis Carroll.

O longa  não foi dirigido por Tim Burton, e sim por James Bobin (“Os Muppets”, 2011; “Os Muppets 2”, 2014), porém manteve seu toque nonsense e macabro para ser fiel à obra precedente e também a Burton, agora deixando sua marca na produção do filme.

Danny Elfman é o nome por trás das trilhas sonoras dos dois longas (tendo feito trilhas sonoras de grandes produções audiovisuais, como muitas obras de Tim Burton e também de “Vingadores: Era de Ultron”), porém a história e o imaginário de Alice serve de elemento base de muitos videoclipes e músicas para além do filme. São muitas as referências que existem em músicas a uma das mais famosas histórias do gênero nonsense da literatura.

 “Alice (Underground)”, Avril Lavigne

O clipe “Alice (Underground)” de Avril Lavigne fez parte do álbum “Almost Alice”, trilha sonora inspirada no longa de Tim Burton:

 

Avril no clipe “encarna” Alice, cai na toca de um coelho e se vê no país das maravilhas; Avril ainda aparece na Tea Party do Chapeleiro Maluco (Johnny Depp).

“Tea Party”, Kerli 

Outro clipe do álbum “Almost Alice” é “Tea Party” da cantora Kerli:

O clipe possui um tom dark e nonsense fazendo jus ao filme onde Kerli participa de uma Tea Party no mundo das maravilhas.

“Just Like Fire”, P!nk

Já no longa que estreia hoje, a cantora P!nk estrelou o clipe oficial com a composição original “Just Like Fire”:

P!nk encarna vários personagens da trama uma vez que atravessa um espelho e sai no país das maravilhas; a Rainha Branca e seus soldados, a Rainha de Copas, o Chapeleiro Maluco e no final a própria Alice, na cena final em que é internada num hospício, assim como Alice começa no segundo longa.

“White Rabbit”, Jefferson Airplane

A trilha sonora então apresentada conta com outra música cantada por P!nk, agora em um cover, “White Rabbit”, originalmente da banda Jefferson Airplane:

A música não é oficialmente de nenhum longa e foi lançada até muito antes dos filmes, porém é toda inspirada na história de Alice, escrita por Lewis Caroll no século XIX.

“Nobody’s Perfect”, Jessie J

Já saindo do eixo dos clipes que possuem uma ligação direta com os filmes, temos “Nobody’s Perfect” de Jessie J:

A cena central do clipe é a cantora num corredor cheio de portas, o que facilmente pode nos lembrar da cena em que Alice tenta entrar por várias portas logo após cair da toca do coelho. A partir daí, passa a cantora em várias situações semelhantes ao mundo das maravilhas; a Tea Party, uma sala cheia de relógios (tal qual o coelho branco avisando Alice sobre o tempo).

“Rabbit Heart”, Florence + The Machine

O próximo clipe é da banda britânica Florence + The Machine, “Rabbit Heart”:

O clipe em si e a música não têm ligação com o filme mas é possível ver algumas referências; em certa hora os participantes do clipe aparecem todos em volta de uma mesa longa com frutas, o que possivelmente leva à cena do Chapeleiro no filme. Florence canta em uma parte “I must become a lion hearted girl ready for a fight before i make the final sacrifice” o que lembrar a parte final do filme em que Alice, e somente ela, pode e precisa matar Jabberwock, uma criatura gigante da Rainha de Copas que ameaça o País das Maravilhas.

“Labyrinth”, Oomph!

A banda alemã de metal Oomph! cantando “Labyrinth”:

O clipe conta a história de uma Alice presa num sanatório que encontra o país das maravilhas mais macabro que alguém já fez.

“Her Name Is Alice”, Shinedown

E o último clipe a ser apresentado é na verdade uma série de fotos e trechos do filme, incrível, da música “Her Name Is Alice” do álbum “Almost Alice” cantada pela banda Shinedown:

“If I had a world of my own, everything would be nonsense”

It speaks for itself.

Esse foi só um Top 8 de clipes inspirados na história de Alice de aquecimento para a playlist de amanhã (inspirada em? adivinha? ALICE) e para o filme, claro. Vamos analisar a trilha sonora de Danny Elfman, ver se James Bobin fez jus ao Tim Burton e esperar pela trilha sonora inspirada no filme (que nós só conhecemos as duas músicas da P!nk).

Por Carolina Tocci

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s